Check List

Certifique-se de estar levando os documentos necessários para sua viagem: passaporte, vouchers, roteiro da viagem, certificado de vacina, vistos, passagens aéreas etc.

Leia atentamente o roteiro e vouchers especialmente elaborados para sua viagem. Havendo alguma alteração ou imprevisto em sua viagem, mantenha contato com os fornecedores locais, cujos telefones encontram-se no roteiro / vouchers.

  • O serviço de traslado é contratado para esperar até 40 minutos após o horário de chegada do vôo. Atrasos do vôo, demora na imigração ou na localização das bagagens podem extrapolar esse tempo. Nesse caso o serviço pode não ser realizado, sem direito a reembolso.
  • Em caso de desencontro, o passageiro deve entrar em contato com o operador local através do telefone existente no voucher do serviço. Em caso de dificuldade, o passageiro deve procurar o balcão de atendimento ao turismo, geralmente localizado na área de desembarque dos aeroportos.
  • Em geral, o serviço de traslado não inclui carregadores em aeroportos ou maleteiros nos hotéis. Estas despesas são por conta do passageiro.
  • O check in dos hotéis costuma ser a partir das 16h00. O check out até as 10h00.
  • Caso o passageiro deixe o hotel antes da data prevista, não haverá reembolso das diárias não utilizadas.
  • O serviço de carregadores de bagagens (maleteiros) não está incluído na maioria dos roteiros. Quando este serviço está disponível e incluído no roteiro de viagem, esta informação é mencionada no descritivo do roteiro.
  • Na Europa, a maioria das cidades proíbe a entrada ou circulação de ônibus na região central. Por isso, os hotéis utilizados nos circuitos europeus são localizados fora do centro.

Esteja sempre atento às suas bagagens e pertences. Nos aeroportos, não descuide deles. Se for comprar um lanche ou falar com alguém, mantenha suas bagagens junto a você.

Em restaurantes (mesmo dentro dos hotéis), não deixe bolsas em cadeiras, câmeras fotográficas, celulares, notebook ou qualquer outro objeto sobre a mesa.

Tenha sempre uma postura preventiva e cuidadosa com suas coisas. Roubos acontecem em todos os lugares do mundo. Fique esperto!

Para agilizar processos de reembolso, é necessário que nos seja encaminhado relato feito pelo passageiro, com descrição dos fatos e comprovantes originais de despesas, para que possamos verificar junto aos fornecedores a possibilidade de reembolso se for devido.

Havendo alguma despesa por motivo decorrente dos serviços aéreos (atraso do vôo, mudança, perda de conexão etc.) localize o balcão de atendimento ao cliente da companhia aérea responsável e solicite o ressarcimento localmente. É mais fácil e simples obter o ressarcimento quando a solicitação é feita localmente e no ato do acontecimento.

Para viajar, todo passageiro precisa portar um documento.

Em viagens internacionais: o documento padrão é o PASSAPORTE, emitido pela polícia federal (http://www.dpf.gov.br). Ele é válido para viagens a qualquer país do mundo. No entanto, para viagens à Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile, é possível utilizar o RG brasileiro. Mas, assim como nas viagens nacionais, ele deve ser original, estar bem conservado e ter no máximo dez anos de emissão.

Cada passageiro deve possuir seu próprio documento, inclusive menores de idade.

Em viagens nacionais: basta o RG, em bom estado de conservação. Atenção para o RG de crianças: elas mudam muito em poucos anos. Então, verifique se a foto da identidade está semelhante à criança. Caso contrário, recomenda-se que o documento seja atualizado.

Apesar de algumas carteiras profissionais serem aceitas como substituto do documento de identidade, elas não servem para viajar. Use o RG – ele é o único 100% aceito. Atenção: o documento deve ser original. Cópias, mesmo autenticadas, não são aceitas. Para saber como tirar ou renovar seu RG acesse:
http://domino.sp.gov.br/ug960162.nsf/webframepai?opennavigator

Carteira de Motorista: para locação de automóveis no exterior, o condutor deverá portar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) permanente e em período vigente, bem como, a Carteira Internacional de Habilitação (IDL – International Driver’s License). Em alguns países a exigência das duas certificações poderá ser obrigatória e em outros não. Para garantir uma viagem tranquila, recomendamos que levem sempre ambas, além do passaporte.

Providências que devem ser tomadas nos meses que antecedem a viagem:

  1. Documentação:
    • PASSAPORTE para qualquer viagem internacional): verificar se tem pelo menos seis meses de validade a partir da data da viagem.
    • RG (em viagens nacionais, ou para Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile): verificar se está em bom estado, de emissão recente.
  2. Vistos: verificar se é necessário. Se for, solicitar na embaixada ou consulado.
  3. Vacinas: verificar se é necessário. Se for, tomar com pelo menos dez dias de antecedência.
  4. Autorização para menor: necessário se viajando desacompanhado de um ou dos dois pais.
  5. Seguro: verificar se é necessário, e com qual valor de cobertura.

Na semana que antecede a viagem, devem ser reunidos:

  1. Passagem aérea.
  2. Vouchers: de hotel, de carro, de transfer, de passeios.
  3. Dinheiro: em moeda estrangeira ou traveller checks.
  4. Documentos: passaporte / RG, vacinas, vistos, autorizações, seguros.
  5. Bagagem:
    • bagagem a despachar: verifique junto a companhia aérea que irá utilizar, qual a quantidade de malas e o peso permitido em todas as etapas da viagem.
    • bagagem de mão: verifique as dimensões e peso permitidos e produtos proibidos pelas normas de segurança.
    • verifique as condições do tempo para definir as roupas que irá levar.
    • sempre leve algumas peças de vestuário em sua bagagem de mão para o caso de haver alguma situação imprevista.
    • verifique se está levando todos os acessórios dos equipamentos que pretende utilizar na viagem: baterias, cabos, chips de memória, adaptadores etc.
    • verifique se os documentos, os vouchers e valores estão na bagagem de mão.

No dia da viagem, tudo deve estar pronto. Só duas providências a tomar:

  1. Verificar se não se esqueceu de pegar todos os documentos, autorizações, bilhetes aéreos, vouchers e dinheiro.
  2. Apresentar-se no balcão da companhia aérea (aeroporto) para o check in, com no mínimo três horas de antecedência do horário previsto para a partida do vôo.

 

Viajar pela primeira vez é uma experiência inesquecível. Veja as dicas abaixo para aproveitar ao máximo sua primeira vez – e querer repetir.

Você é turista – e deve se comportar como tal. Isso significa ter respeito aos costumes e tradições do lugar visitado, por mais incomuns que sejam. Comprar uma viagem para o país não significa comprar o país. E para quem mora lá, é um dia comum. As férias valem só para você. Para resumir: você não acha horrível quando estrangeiros vêm para o Brasil e se comportam mal? A recíproca é verdadeira.

Você é turista – e isso é evidente. Por mais que você se sinta cidadão do mundo, é fácil perceber que você é turista em um país estrangeiro. Por isso, desconfie de abordagens que tratam você como um local. Por mais que massageie seu ego, são geralmente o começo dos mais variados golpes.

Você é turista – e não deve baixar a guarda. Os brasileiros costumam achar que no Brasil existe muita insegurança. E, por oposição, que o resto do mundo é mais seguro. Mas a verdade é que existem malfeitores em todo o mundo. Por isso, sempre se deve cuidar muito bem de dinheiro e documentos. Uma boa política é tomar lá os mesmos cuidados que você toma aqui !

Você é turista – e quer aproveitar ao máximo. Para isso, vale a pena se informar previamente das principais atrações dos lugares que irá visitar. Festivais e espetáculos também podem ser um benefício extra à sua viagem.

Você é mais que um turista – é um embaixador. A imagem do Brasil no exterior é formada pelo conjunto de todos os turistas que visitam o estrangeiro. Dê a sua contribuição, deixando uma boa impressão.

Informações Úteis

Para obter o Passaporte Comum, o interessado deve ser brasileiro nato ou naturalizado. Consulte o site da Polícia Federal ou procure qualquer das unidades descentralizadas ou postos de atendimento e verifique quais os documentos exigidos, procedimentos e prazos para emissão do documento.

Informações completas e atualizadas podem ser obtidas no site do Departamento da Polícia Federal

Alguns países exigem vistos para passageiros brasileiros. Para obter o visto, o passageiro deve procurar o consulado ou a embaixada do país que pretende visitar, apresentar os documentos solicitados e, na maioria dos casos, pagar uma taxa pela emissão do visto.

Alguns países exigem vacinas de passageiros brasileiros. Em caso de dúvidas, consulte a embaixada do país ou seu agente de viagens.

Em outros casos, é o Brasil que exige a vacinação para quem visitar certos países. Verifique no site da ANVISA a obrigatoriedade de vacinas e os endereços de onde tomá-las.

Confira medidas importantes a serem adotadas antes, durante e depois da viagem.

Ao viajar as pessoas estão expostas a mudanças climáticas, geográficas e culturais, que se refletem em mudanças dos padrões sanitários. Exemplo disso, a conhecida “diarréia do viajante” chega a ser registrada em até 80% dos viajantes em decorrência, principalmente, da ingestão de alimentos, bebidas e água contaminados. A maioria dessa contaminação, 85%, deve-se à presença de bactérias, que causam doenças como cólera e febre tifóide, e 5 % por vírus, podendo também ser provocada por parasitas e fungos em menor intensidade (OMS, 2005).

Os principais cuidados frente a diarréia do viajante são:

Evite alimentos de procedência duvidosa;
Prefira água tratada industrialmente, filtrada ou fervida;
Mantenha-se hidratado bebendo água tratada ou consumindo frutas;
Verifique se o alimento é seguro;
Evitando picadas de mosquitos;

Quando um indivíduo se desloca para uma área de risco de doenças transmitidas por mosquito (maláriadengue,febre amarelafebre do Nilo Ocidental) recomenda-se a utilização de repelentes, mais de uma vez ao dia, nas partes mais expostas do corpo. Além dessa medida, orienta-se o uso de mosquiteiros e de telas, assim como evitar exposição no horário de maior atividade dos mosquitos (anoitecer e amanhecer).

Cuidados com doenças respiratórias

As doenças respiratórias também são consideradas de alto risco para os viajantes. Em julho de 2005, durante voo de curta duração no Brasil, um viajante contaminado pelo vírus do sarampo transmitiu a doença para mais cinco pessoas que estiveram na mesma aeronave. Pensando nesta forma de transmissão, o mesmo raciocínio poderá ser aplicado, por exemplo, para tuberculose, influenzavaricela e meningite meningocócica.

Atualize seu calendário vacinal

Evite viajar caso esteja doente ou com suspeita de alguma dessas doenças, durante o período de transmissão.

Caso apresente algum sinal ou sintoma de algumas dessas doenças a bordo da aeronave, embarcação ou veículo terrestre em trânsito internacional, reporte-se aos tripulantes para que eles possam acionar os serviços de apoio e autoridades sanitárias do aeroporto, porto ou ponto de passagem de fronteira.

Fonte: ANVISA

No retorno de qualquer viagem, caso venha a apresentar algum sinal ou sintoma (ex.: febre, dor de cabeça, mal-estar geral ou qualquer outra alteração na saúde), recomenda-se procurar um médico ou o serviço de saúde, informando os locais por onde viajou, inclusive com as escalas e conexões. Os profissionais dos serviços de saúde são responsáveis por notificar a autoridade sanitária competente no caso de doenças e agravos de interesse à saúde pública internacional.

Fonte: ANVISA

Para locação de automóveis no exterior, o condutor deverá portar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) permanente e em período vigente, bem como, a Carteira Internacional de Habilitação (IDL – International Driver’s License). Em alguns países a exigência das duas certificações poderá ser obrigatória e em outros não. Para garantir uma viagem tranquila, recomendamos que levem sempre ambas, além do passaporte.

Menores de idade que viajam ao exterior sem um dos pais ou sem ambos, precisam de autorização. Solicite o modelo da autorização por e-mail ou através de nossos telefones.

A autorização deve ser preenchida em duas vias e ter as firmas reconhecidas por autenticidade ou seja, a pessoa que assina tem que ir pessoalmente ao cartório. Se a criança viaja desacompanhada do pai e da mãe, ambos devem assinar a autorização e reconhecer as firmas em cartório. Em cada via da autorização deve ser grampeada uma foto 3 x 4 do menor e deve ser anexada uma cópia do RG da criança.

Atenção: Em caso de separação dos pais e o menor for viajar acompanhado somente da mãe, observar se o nome completo da mãe é idêntico ao que consta no RG da criança. Caso seja diferente (tenha sido modificado após a separação) será obrigatória a apresentação da Certidão de Casamento contendo a averbação da separação para embarque.

Toda viagem deveria ser perfeita. No entanto, imprevistos acontecem e é importante estarmos preparados para isso. Por isso, os seguros de viagem são grandes aliados dos passageiros. Eles cobrem despesas imprevistas com assistência médica, transportes e até perda de bagagens ocorrida durante o transporte aéreo. Contratando uma assistência em viagem, qualquer eventual surpresa é minimizado. A maioria dos nossos roteiros inclui um plano básico da Mapfre. (Segurviaje).